Arquivo

Archive for Maio, 2010

Planilha de Controle Financeiro Pessoal

Bom dia,

Como prometido, aqui está a planilha feita por Diogo Gonçalves(www.renovo.com.br).
Ela é fácil de manusear, pois possui uma explicação de como funciona. Automaticamente são gerados gráficos, percentual de poupança que poderá ser feito.

Em uma palestra do Lucas Roque, Gerente da XP investimentos, há 2 semanas atrás na faculdade, disse que todos já tentamos fazer um controle bem rígido, mas sempre desistimos.
Quando existe um Controle Financeiro, como essa planilha, não necessariamente precisa ser alimentada todos os dias, mas pode se juntar as notas e a cada fim de semana você deve inserir os dados.

Dicas para preencher a planilha:

  • Não desista! Comece e leve até o fim esse empreendimento;
  • Até seu chicletes, nesse primeiro momento, deve estar bem claro em seus custos;
  • Se for possível, tente fazer uma poupança. Por menor que seja.

TODOS os seus gastos precisam ser especificados, para quem sabe em 2 meses você já saber sua rotina de gastos e poder fazer uma média, agora que você “conhece” seus gastos rotineiros.

Qualquer dúvida, é só perguntar. jmatheus87@yahoo.com.br

Eis o link: http://www.4shared.com/document/bxxwhrNn/Controle_Financeiro_Pessoal.html

Anúncios
Categorias:Uncategorized

Seria a solução dos problemas financeiros?

Escrevi esse texto, espero que apreciem. Good Luck for all!

”Devemos gastar 70% da nossa renda…”

Com essa afirmação, inicio este texto, pois é necessário que exista uma margem para auxiliar nos tempos de crise, mas, isso está longe da realidade brasileira.

O mundo gira em torno da tecnologia e precisamos aprender a lidar com isso. Com isso, eu conheci alguém que muito contribuirá para a nossa conscientização sobre o uso correto das nossas finanças. Esse “encontro” aconteceu na rede social Twitter.

O empresário Altomir Rangel Cunha, que atua no ramo de Personal Care, nos dá dicas de como obter essa metanóia (mudança de mente) sobre o uso do dinheiro. Graduado em International Bussiness, para nos brasileiros, Administração em Comércio Exterior pela Oral Roberts University em Oklahoma nos EUA e com MBA em Gestão de Negócios pela IBMEC-RJ, Rangel está com propriedade para nos auxiliar.

A frente na diretoria das operações de sua empresa tanto em produção, comércio exterior e marketing, ele diz que devemos gastar 70% da nossa renda caso queiramos poupar algo. Claro que não é uma regra, mas a idéia é essa: conseguir separar uma parte da renda.

Todavia, a realidade é outra. Se pudéssemos citar o real motivo desse consumismo desenfreado, ficaríamos dias tecendo justificativas, mas devemos encarar o fato que é muito difícil comprarmos algo porque simplesmente chegou ao fim. ”Quase ninguém compra outro sapato por que o seu está furado ou simplesmente ‘acabou’. As pessoas compram, na maioria das vezes, pela promoção/propaganda, ao invés de comprar pela necessidade. E acabam não usando tudo o que tem” diz Rangel.
Esse conceito de necessidade e desejo passa despercebido, na maioria das vezes, pelos consumidores  e principalmente aos brasileiros, que são emergentes.

Foi perguntado, também, se seria aconselhável fazer um financiamento no atual cenário econômico brasileiro e o empresário diz que é pontual, pois se trata de uma necessidade ou de uma estruturação de capital. Neste caso pode-se encontrar, teoricamente, uma ótima estrutura de Capital fazendo uso da equação do CAPM que explana o objetivo de estabelecer uma relação quantitativa entre risco inerente a um ativo e o retorno justo que deve ser esperado.

Saindo um pouco da parte teórica que já estamos habituados a vermos em vários textos, o empresário foi questionado sobre sua conscientização para o uso correto do dinheiro, e disse que foi ensinado a agir dessa maneira desde criança, mas que ficou mais forte dos 12 aos 13 anos de idade. Em suas palavras: “tomei a consciência de que não poderia ter tudo o que eu queria, no tempo que eu queria”.

Vemos nos tempos atuais jovens, que cada vez mais cedo, estão se afundando em complicações financeiras e já contaminando o mercado com essa idéia de que os mais novos não sabem administrar suas finanças, porém Rangel dá um recado, principalmente aos jovens, que devem se expressar e não tentar impressionar, pois é sempre melhor superar as expectativas, do que frustrá-las.

Um medo que temos ao planejar a compra de um produto com alto valor agregado, seria não conseguir pagar. Sobre isso algo simples pode ser dito, devemos colocar na ponta do lápis os gastos previstos e esperados de cada mês, se essa nova aquisição não sobressair sua receita total, contando com esses gastos, pode-se pensar realmente sobre a efetivação do planejamento da compra.

E algo que intriga todos que estão atolados em dívidas, aos próprios olhos intermináveis, é como realizar um planejamento eficaz e ter uma nova chance de recomeçar sua própria administração financeira. Com isso Rangel diz que poderia ser feito um empréstimo, bancário ou não, e assumir as prestações dessa dívida tomando o cuidado de economizar nos meses seguintes e assim efetuar o pagamento das contas mais importantes, geralmente as maiores, que refletem exageros cometidos que não deixaram espaço para as pequenas contas. Ele diz para repensar os grandes gastos.

Depois dos conselhos de como sair das dívidas, podemos pensar em como investir uma parcela da margem de 30% que sobrou de toda a administração financeira que fizemos, e uma dessas formas seria a iniciação no mercado de valores, a Bolsa.

Acertar o melhor momento de entrar na bolsa é realmente uma difícil tarefa, até mesmo para quem acompanha o mercado durante todo o dia. Você pode aplicar em um fundo de ações ou direto na bolsa. Inicialmente, são aconselháveis os fundos de investimentos, pois neste caso você delega a escolha das ações para o gestor do fundo, que sempre respeitando o regulamento, estará analisando e mudando os papéis na composição da carteira, de suas ações.

E para diversificar as opções de investimentos, Rangel nos diz alguns, como fundo DI, fundos de renda fixa e os CDB’s, que são seguros por estarem ligados às taxas de juros de alguma maneira. Essa ligação faz com que os rendimentos desses produtos variem de acordo com a oscilação dos juros, assim, o investidor que decidir por alternativas de baixo risco terá de aceitar os rendimentos condizentes com essa opção. Uma alternativa mais utilizada atualmente por aqueles que desejam melhorar seus rendimentos, sem se expor a grandes riscos, seria a diversificação das carteiras.

Novamente falando sobre a Bolsa e finalizando a entrevista com o empresário, ele diz, parafraseando Warren Buffet: “O mercado acionário é feito para transferir o dinheiro dos apressados para os pacientes”.

Depois desses conselhos, prezo que você consiga aplicar as partes deste texto nas situações no qual se encontra inserido. Se endividado, conseguir sair. Se já conseguiu se estabilizar, arriscar a investir.

Agora é com você.

José Matheus Barbosa Lima
Futuro Trader

Para acompanhar  Altomir no Twitter, aqui está o endereço:http://twitter.com/Altomir
Sempre algo para somar em sua vida.

Categorias:Uncategorized

Eu dono do meu próprio dinheiro? E agora o que vou fazer?

Bom feriado de 1 de maio a todos!

Nada mais propício para falar no dia do trabalhador daquilo que todos,que se encaixam dentro desse título buscam no início ou no final do mês, o dinheiro.
No próximo post, irei trazer idéias de como economizar, um case de sucesso de um empresário e depois que já está atolado em dívidas como sair delas.

Também será disponibilizado uma planilha em Excel para poder controlar todos os gastos do dia-a-dia confeccionada por um analista financeiro que será entrevistado.

Até lá, vamos usar com consciência o nosso “rico dinheirinho”.

Abraços!

Categorias:Uncategorized